Vitória e Flamengo empatam em jogo com muitos gols e polêmicas.

    Vitória e Flamengo estrearam no Campeonato Brasileiro com um empate por 2 a 2, no último sábado (14) em Salvador. A partida foi movimentada e expôs as fragilidades e potenciais das duas equipes que já não brilharam no último estadual. A arbitragem porém, mais uma vez roubou a cena. O trio composto pelo árbitro Wagner Rewe e os auxiliares Fábio Rodrigo Rubinho e Marcelo Granado foi inclusive afastado pela comissão de arbitragem da CBF das próximas três rodadas da Série A.
    Polêmicas à parte, o  jogo começou eletrizante. Logo na saída de bola o Mengão saiu na frente. O zagueiro Juan percebeu que o time baiano tinha adiantando a marcação e deu um chutão para frente. A bola acabou chegando em Éverton Ribeiro que tocou para o veloz Vinicius Junior. O garoto iniciou um contra-golpe que terminou com a conclusão de  Lucas Paquetá no canto de Caíque.
Fonte: UOL Esporte
    O Vitória, mesmo atordoado, deu o troco aos nove minutos com ajuda de um erro da arbitragem.  Após bate-rebate na área, Rhayner chutou no rosto de Éverton Ribeiro que em cima da linha tirou a bola do gol (na imagem acima) mas o juiz marcou pênalti, alegando que ele teria colocado a mão na bola. Na confusão, o jogador do Flamengo ainda foi expulso. Aos 12 minutos, Yago cobrou forte e no canto para empatar o jogo.
    Com dez contra onze a história do jogo mudou totalmente. O time da casa passou a pressionar enquanto o Flamengo precisou recuar e apostar nos contragolpes. Nesse panorama, o técnico Barbieri precisou tirar seu centroavante Henrique Dourado para recompor o meio de campo com a entrada do volante Willian Arão. Fechadinho o time carioca conseguiu segurar o adversário que mostrou pouco repertório ofensivo.
    A segunda etapa, começou como o primeiro tempo terminou. O Vitória continuava com a bola, mas pouco assustava Diego Alves. Vendo a fragilidade do adversário o Mengão, que tem um dos melhores elencos do Brasil, resolveu se aventurar no ataque. E a ousadia deu certo. Diego cobrou falta na área e Arão, em posição de impedimento tocou de cabeça para Geuvânio, este achou Réver que livre fez de cabeça o segundo gol do Fla, aos 26 minutos.
    Jogando em casa e com um jogador a mais o Vitória se atirou de vez ao ataque e chegou ao empate quatro minutos depois. Denílson, sozinho no meio dos zagueiros do Flamengo, tocou de cabeça e marcou o segundo do Leão no jogo. Empolgados os baianos aproveitaram o cansaço do rival e pressionaram muito nos minutos finais - que foram de muita emoção. Apesar da pressão, o Flamengo conseguiu resistir e a partida permaneceu empatada até o apito final do juiz.
    O resultado de igualdade pode ser visto como um alerta ao rubro-negro baiano que jogou em casa e com um jogador a mais em quase toda a partida. Muita coisa precisa melhorar se a equipe não quiser mais uma vez simplesmente lutar contra o rebaixamento. Já o Mengo, pode colocar o resultado na conta do juiz, pois logo aos 9 minutos viu uma expulsão injusta de desmontar toda a estratégia do técnico Barbieri. Ainda é cedo portanto para avaliar o trabalho da equipe com o novo treinador.
    Na próxima rodada, o Flamengo recebe no Maracanã o América-MG, sábado (21), às 19 horas em jogo que marca a aposentadoria do goleiro Júlio César. Já o Vitória viaja para encarar o Atlético-MG, domingo dia 22, às 16 horas, no estádio Independência.

Ficha técnica
VITÓRIA 2 X 2 FLAMENGO

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Wagner Reway (MT) Auxiliares: Fábio Rodrigo Rubinho (MT) e Marcelo Grando (MT) 
Cartões amarelos: Rhayner, Rodrigo Andrade, Yago (Vitória); Diego, Willian Arão Willian Arão (Flamengo) Cartão vermelho: Everton Ribeiro (Flamengo)
Gols: Lucas Paquetá, aos 16 segundos do primeiro tempo; Yago, aos 12min do primeiro tempo; Réver, aos 26min do segundo tempo; Denilson, aos 30min do segundo tempo.

Vitória: Caíque; Rodrigo Andrade (Jeferson), Kanu, Ramon e Pedro Botelho (Guilherme Costa); Willian Farias, Uillian Correia, Yago, Rhayner e Alex Baumjohann (Juninho); Denilson Técnico: Vagner Mancini

Flamengo: Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá (Geuvânio), Diego, Everton Ribeiro e Vinicius Júnior (Pará); Henrique Dourado (Willian Arão) Técnico: Maurício Barbieri.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

A incrível história de Fernando Prass.

Foca no "Foquita".