Mais um passeio em verde e branco.

    Assim como nos jogos anteriores contra o São Paulo no Allianz Parque, o Palmeiras dominou amplamente seu adversário e venceu por 2 a 0 o Choque-Rei. Os gols do time de Roger Machado foram marcados por Antônio Carlos e Borja - ambos na foto abaixo. O placar poderia ter sido ainda maior devido a quantidade impressionante de oportunidades criadas pelo ataque alviverde.
 Fonte: Ale Frata/Codigo19/Folhapress
    O clássico foi o centésimo jogo do Verdão em seu estádio desde a reabertura ocorrida em 2014. Nesta história curta, mas de sucesso, o São Paulo é o maior freguês. O Tricolor perdeu os seis jogos disputados, levando um total de dezoito gols e marcando apenas três.
    Não adiantou a torcida do São Paulo ir ao CT da Barra Funda na véspera da partida para incentivar o elenco, com a bola rolando os comandados de Dorival Júnior pareciam assutados diante do impeto adversário. Após uma pressão inicial, aos 9 minutos, Antônio Carlos aproveitou escanteio cobrado por Lucas Lima e mandou a bola para o gol. Com o revés, o São Paulo até tentou equilibrar a partida, mas tinha muita dificuldade de ficar com a bola, pois os atacantes palestrinos faziam uma marcação forte desde a saída de bola. 
    Com tamanha superioridade não demorou para sair o segundo gol. Após um belo voleio de Victor Luis, Jean espalmou a bola no meio da área e Borja aproveitou o rebote para estufar as redes aos 31 minutos. O Colombiano é sempre muito feliz quando enfrenta a defesa do Tricolor, ontem ele levou uma impressionante superioridade no duelo com Rodrigo Caio. As chances do Palmeiras ainda viriam em grande quantidade e para sorte do clube do Morumbi, Jean mostrou segurança e salvou com grandes defesas. O apito do juiz que encerrou o primeiro tempo foi também um alívio para a torcida do time visitante.
    Para evitar uma goleada, Dorival mudou o time no intervalo. O São Paulo então voltou com Shaylon, Nenê e Tréllez nas vagas de Hudson, Marcos Guilherme e Brenner. Especialmente Tréllez, mostrou disposição e em lance disputado na área acertou o travessão defendido por Jaílson. Mas parou nisso, apesar de mais organizado em campo, a letargia dos jogadores continuou comprometendo. Com o placar já favorável o Palmeiras passou a 'administrar' para evitar maior desgaste fisico. Roger então resolveu colocar um sangue novo em campo. O primeiro a sair foi Felipe Melo e em seu lugar entrou Thiago Santos. Depois Scarpa e Moisés ganharam chance nos lugares de Bruno Henrique e Willian. Com os jogadores vindos do banco, o Verdão acelerou o jogo com perigosos contragolpes. Num deles Borja até balançou a rede de novo, mas em lance duvidoso, a arbitragem assinalou impedimento.
    Sem mudança no placar, o jogo acabou com os 34 mil torcedores Palmeirenses presentes no estádio gritando "olé". 
    Apesar da derrota o São Paulo garantiu sua vaga nas quartas de final, graças ao empate da Ponte Preta diante do Red Bull. Mesmo classificando a equipe, a derrota foi fatal para Dorival Junior. O treinador foi demitido logo após o clássico. Zé Ricardo e Luxa aparecem como maiores opções. Já o Verdão assegurou o primeiro lugar do Grupo C e ainda lidera a classificação geral com 23 pontos contra 20 do Corinthians - o que pode ser uma vantagem para as fases finais. 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2x0 SÃO PAULO 
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 8/3/2018 - 20h30
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP) Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Público/renda: 34.916 pagantes/ R$ 2.302.301,06 
Cartões amarelos: Victor Luís, Marcos Rocha, Bruno Henrique Felipe Melo e Thiago Martins (PAL);  Marcos Guilherme, Hudson, Petros e Shaylon 
Gols: Antônio Carlos (9'/1°T) (1-0) e  Borja ( 31'/1°T) (2-0)

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo (Thiago Santos, aos 23'/2ºT), Bruno Henrique (Moisés, aos 26'/2°T) e Lucas Lima; Dudu, Willian (Gustavo Scarpa, aos 18'/2°T) e Borja. Técnico: Roger Machado
SÃO PAULO: Jean; Éder Militão, Rodrigo Caio, Arboleda e Edimar; Petros, Hudson (Tréllez, no intervalo) e Cueva; Marcos Guilherme (Nenê, no intervalo), Brenner (Shaylon, no intervalo) e Valdívia. Técnico: Dorival Júnior

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

A incrível história de Fernando Prass.

Foca no "Foquita".