A ressaca continua.

    Em um domingo de sol na cidade de Volta Redonda, Vasco e Palmeiras empataram numa partida morna que agravou ainda mais o momento ruim das duas equipes no ano. A difícil realidade das equipes refletiu também no pouco público presente ao estádio Raulino de Oliveira - pois São Januário cumpre suspensão pela confusão no clássico com o Flamengo. O famoso almoço de dia dos pais pareceu muito mais atraente que ir ao jogo de bola. 
 
Wellington do Vasco em disputa contra Guerra - Fonte: UOL
    O primeiro tempo foi sem qualidade nem emoção. Mesmo a volta de Luis Fabiano não serviu para qualificar o futebol da equipe carioca. O Fabuloso até se movimentou bastante e teve um gol corretamente anulado aos 17 minutos da primeira etapa, mas no segundo tempo sentiu o tempo longe dos gramados e pouco acrescentou. Em ritmo morno, o primeiro perigo de gol veio apenas aos 36 minutos, quando  o Palmeiras chegou com Róger Guedes. O velocista recebeu de Guerra e perdeu grande chance 'cara a cara' com o goleiro Martin Silva. Aos 43 veio a resposta do Vasco com Paulinho, ele recebeu dentro da área, poderia bater de primeira, mas preferiu dominar e permitiu a chegada de Jean, que bloqueou o chute.
    Para a segunda etapa, as equipes vieram mais dispostas e melhor organizadas. Aos 27, Nenê recebeu passe de Mateus Vital e sozinho dentro da área finalizou encobrindo Fernando Prass. A bola tinha endereço certo, mas Luan cortou em cima da linha. O zagueiro palmeirense, formado em São Januário,foi uma das atrações do jogo pois enfrentou pela primeira vez seu ex-clube. A partida finalmente esquentou, aos 32, Guerra - o melhor jogador do Verdão em campo - recebeu  cruzamento de Jean e cabeceou para o fundo das redes. Após o gol, o venezuelano fez questão de ir abraçar o amigo Borja, que virou o reserva de luxo na equipe. Quando o placar parecia consolidado, após cobrança de escanteio, a bola passou por Prass e sobrou na pequena área para Manga Escobar que aproveitou e empurrou para as redes. Aos 46, quase ocorre a virada. Manga Escobar cruzou na área para Luis Fabiano que finalizou, mas a zaga do alviverde mandou para escanteio.
    Juntando os cacos após a eliminação na Libertadores e completando o segundo jogo seguido sem vitória no Brasileirão, o Palmeiras se manteve na quarta posição. Apesar da instabilidade, a vaga na próxima Libertadores parece cada vez mais próxima. A maior preocupação é com o abatimento e a falta de organização tática da equipe. Cuca continua implementando mudanças no time titular e o entrosamento segue longe do ideal.
    Já o Vasco, que conseguiu só uma vitória nas últimas seis partidas, caiu para o 12º lugar, posição que ainda pode piorar dependendo do resultado da Chapecoense no fechamento da rodada. Depois da interdição de São Januário o time Cruzmaltino teve uma campanha digna de clube rebaixado. Depois de sonhar com vaga na Libertadores para 2018, os últimos resultados recolocaram o Vasco na ingrata briga para se manter na série A.

FICHA TÉCNICA: VASCO 1 x 1 PALMEIRAS 
Local: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ) 
Data: 13 de agosto de 2017, às 16 horas 
Público: 5.323 torcedores Renda: R$ 129.885,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior Assistentes: Victor Hugo Imazu dos Santos e Bruno Boschilia Cartões amarelos: Nenê e Raphael Veiga 
Gols: Guerra, aos 31min, e Manga Escobar, aos 42min do segundo tempo 
VASCO: Martín Silva; Gilberto, Rafael Marques, Breno e Ramon; Jean e Wellington (Manga Escobar); Wagner (Nenê), Matheus Vital e Paulinho (Paulo Vitor); Luís Fabiano. Treinador: Mílton Mendes. 
PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Luan e Michel Bastos; Bruno Henrique (Keno) e Thiago Santos; Tchê Tchê (Borja), Guerra (Zé Roberto) e Roger Guedes; Deyverson. Treinador: Cuca

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

Foca no "Foquita".

Valeu pelos três pontos.