Depois da tempestade, vem a bonança.

    Neste último domingo o Palmeiras recebeu o Vitória no Allianz Parque. A equipe visitante, que frequenta a zona de rebaixamento desde o início do campeonato, era visto como o adversário ideal para o Palestra retomar o bom futebol perdido nas três partidas anteriores. 
    Após um início promissor do Verdão, o que se viu em seguida foi uma equipe novamente desorganizada e afobada. Sem muita estratégia o alviverde tentava chegar ao gol apenas com raça e o grito da torcida. Mais objetiva, a equipe baiana saiu na frente após um erro de Felipe Melo na saída de bola. O atacante baiano Uillian Correa aproveitou o contra-ataque e acertou um petardo de fora da área que entrou no canto esquerdo de Fernando Prass. Com o gol, o Palmeiras que já parecia correr atrás do prejuízo, passou efetivamente a ter que virar o placar.
Fonte: ESPN.com.br
    Mantendo a posse de bola e o nervosismo, o Verdão passou a encurralar o Vitória em seu campo. A equipe baiana, recheada de veteranos, expôs suas limitações e abdicou do contra-ataque. O jogo então ficou feio, pois o Palmeiras não conseguia criar muitas oportunidades enquanto os baianos apenas pegavam a pelota para rifar a bola em seguida. Neste panorama apenas um erro poderia alterar o placar. Para alegria palmeirense, ainda no primeiro tempo, eles vieram em dose dupla! Aos 36 minutos o árbitro mal posicionado anotou um pênalti inexistente do zagueiro Wallace em Mina. No lance houve aquele agarra-agarra tipico de disputa de bola em cruzamento na área que terminou com o Palmeirense se atirando ao chão. Roger Guedes com tranquilidade converteu o pênalti igualando o placar. Abalados com a situação, os baianos se desconcentraram e o Verdão aproveitou. Aí aconteceu o segundo erro. Após um arrancada de Guerra até a entrada da área a bola bateu na zaga rubro-negra e 'sobrou' próxima a Wallace. O zagueiro foi lentamente buscar o rebote e não percebeu a chegada de Guerra. O meia Venezuelano se antecipou e tocou para Dudu (na foto acima) decretar a virada do Palmeiras.
    O segundo tempo começou em um ritmo mais tranquilo com o Palmeiras mantendo o toque de bola, desta vez sem pressa, enquanto o Vitória permanecia em seu campo. Aos oito minutos, nova confusão da arbitragem, dessa vez um pênalti cometido em William Bigode que o juiz não marcou - talvez compensando o erro inicial.
    A partir dos 18 minutos, vendo o tempo passar e a sucessão de erros da equipe palmeirense, o Vitória começou tomou coragem e se lançou ao ataque. A pressão sobre o time da casa começou a dar frutos; aos 20 minutos, Wallace cabeceou uma bola na trave após cruzamento na área.
    Foi a senha para Cuca mexer na equipe e colocar Michel Bastos no lugar de Guerra para dar velocidade aos contra-ataques. E o efeito veio logo. Na raça, Dudu bem marcado levou sozinho até a linha de fundo e cruzou. Willian recebeu na área e mandou na trave. No rebote Maike estufou as redes. Desta vez foi o Vitória provou do veneno do contra-ataque. E o Palmeiras gostou de jogar dessa forma. Seis minutos depois, em velocidade Dudu fez mais um, ampliando o placar e tranquilizando totalmente a torcida verde.
    De tanto insistir o Vitória ainda conseguiu mais um belo gol, desta vez, com o jovem David. Sua agilidade mostra um caminho para a equipe. Tradicional revelador de craques, este ano o Vitória tem fracassado ao apostar em um elenco repleto de jogadores considerados 'veteranos'.
    Fim da partida e alívio dos Palmeirenses. A vitória ameniza uma semana tumultuada, por derrota no clássico contra o grande rival e protesto da torcida. Para o Vitória, Galo colecionou mais uma derrota levando quatro gols, consolidando a posição no Z4 do torneio. O tempo de reação começa a ficar escasso.

FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 4 X 2 VITÓRIA 
Data: 16 de Julho de 2017 as 11:00 horas. Local: Allianz Parque, em São Paulo 
Público: 36.263 presentes Renda: R$ 2.712.846,15 
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ-CBF) Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ-CBF) e Eduardo de Souza Couto (RJ-CBF)  
Cartões amarelos: Edu Dracena (PAL); Cleiton Xavier, Wallace, Geferson (VIT) 
Gols: Uillian, aos 9 minutos; Roger Guedes, aos 36 minutos e Dudu aos 45 minutos do 1º tempo; Mayke aos 25 minutos; Dudu aos 31 minutos; David aos 39 minutos do 2º tempo 

Palmeiras: Prass; Mayke, Dracena, Mina e Egídio; Felipe Melo (Zé Roberto), Tchê Tchê e Guerra (Michel Bastos); Dudu (Borja), Guedes e Willian. Técnico: Cuca 
Vitória: Fernando Miguel, Patric (Salino), Wallace, Alan Costa e Geferson; Uillian Correia, Yago (David), René Cleiton Xavier; Neílton (Jhemerson) e André Lima.  Técnico: Alexandre Gallo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

Mais um passeio em verde e branco.

A incrível história de Fernando Prass.