Uma queda humilhante

    Seguindo a receita do fracasso, o Internacional de Porto Alegre se juntou a Figueirense, Santa Cruz e América e irá disputar a segunda divisão em 2017. Após liderar as primeiras rodadas, o time do ‘Gigante da Beira-Rio’ entrou em queda livre e sofreu o que meses atrás parecia impossível.
     Apesar de inédito, o rebaixamento não foi uma surpresa. A cada troca de técnico, entrevista polêmica, derrota ou ameaça de tapetão o Inter foi conquistando passo a passo esta vaga na série B e a antipatia da torcida brasileira. Mais do que a queda no campo foi um rebaixamento moral do time gaúcho.
     Domingo foi lamentável ver uma equipe tão importante do futebol brasileiro e que possui uma torcida imensa se arrastar em campo. O que se viu mais uma vez foi um catado de jogadores nervosos e atônitos que deixaram os reservas do Fluminense dominarem boa parte da partida. Foi constrangedor ver o goleiro Danilo após cada defesa tentar solitariamente acelerar a saída de bola, sem saber por onde começar, enquanto seus colegas passivamente caminhavam em campo olhando para chão. Pareciam conformados ou até indiferentes à situação que eles mesmos ajudaram a construir.


O jogo
     No inicio da partida, foram os garotos do Fluminense que tomaram a iniciativa de atacar enquanto o Inter começava a marcação apenas no campo de defesa. Com facilidade, Escarpa e Wellington comandavam o meio campo sem serem incomodados.
     Com o domínio do jogo o Fluminense enfileirou chances perdidas. Aos 43 minutos Richarlison perdeu pênalti e consagrou Danilo, que foi disparado o melhor em campo.
     No segundo tempo, liderado por Valdívia, o time do Saci finalmente tomou a iniciativa de se jogar ao ataque. Ele mesmo chegou a sofrer um pênalti não marcado pelo juiz - que anotou falta fora da área. No lance Valdívia se   machucou e teve de ser substituído.
     Com a saída de Valdívia foi embora também o pouco de criatividade e habilidade do ataque gaúcho. Isso deu mais liberdade aos garotos de Xerém que intensificaram os contragolpes e foram premiados com o gol do volante Douglas aos 27 minutos do segundo tempo.
    Só assim o técnico Lisca resolveu arriscar e trocou Vitinho e Alex por Ariel e Andrigo. As mudanças surtiram pouco efeito e o Inter seguiu atacando atabalhoadamente e deixando a defesa desprotegida. Não fosse pelo preciosismo do ataque Fluminense a vantagem poderia ter aumentado. Aos 41 Ferrareis fez o gol de empate, o que poderia abrir alguma esperança de vitória, não fosse os jogadores do Inter continuarem inoperantes ao que ocorria no campeonato. Assim calmamente o tempo acabou para desespero do goleiro Danilo Fernandes e dos torcedores gaúchos que se desmanchavam na arquibancada.
    No fim do jogo, lágrimas da torcida e jogadores cabisbaixos diante da catástrofe. Nas entrevistas após o jogo coube a diretoria pedir desculpas e lamentar os próprios erros. Um mea-culpa justo, mas que não vai amenizar o sofrimento da imensa torcida colorada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

Foca no "Foquita".

Valeu pelos três pontos.