Afinal o Campeonato Brasileiro é um lixo ou um luxo?

    Uma das polêmicas que temos nessa reta final do Brasileiro é sobre o modelo de jogo e a qualidade do futebol jogado pelos nossos clubes.
Fonte: Folha de São Paulo
    Opiniões, muitas vezes extremadas, desqualificam nosso futebol e o colocam como subalterno e ultrapassado em relação ao de outros países - principalmente os da Europa. Outros exaltam a nossa competitividade e o fato de termos vários clubes disputando o título.
    Há uma parcela de verdade nas duas opiniões. O fato é que não evoluímos no mesmo ritmo de outros países e não temos mais organização nem recursos para formar nem manter um grande time, como já tivemos em sobra no passado. Todo torcedor lembra quando a sua equipe podia atropelar qualquer clube, inclusive europeu, me refiro a inesquecível Academia palmeirense, o Santos de Pelé, o São Paulo de Telê Santana, o Flamengo de Zico, entre outros. Mesmo quando surgem essas equipes, não temos recursos mantê-las, veja o exemplo recente do habilidoso Cruzeiro de Marcelo Oliveira ou do eficiente Corinthians de Tite que foram engolidos pelo emergente futebol chinês. Os craques que surgem, rapidamente encontram no mercado europeu um melhor abrigo - vide esse ano o que ocorreu com o Gabriel do Santos e Jesus do Palmeiras.
Fonte:espn.com.br
    Porém não se pode negar que temos um dos campeonatos mais disputados do mundo onde várias equipes começam o torneio com chances reais de conquistar o título. Em cada rodada não temos um ou dois jogos entre grandes, mas vários! Este ano, por exemplo, teremos ‘decisões’ envolvendo paulistas, mineiros, gaúchos, pernambucanos e cariocas. São vários clubes e estados representados efetivamente no brasileirão e na Copa do Brasil.
    Nos anos 2000 e 2001 morei em Madri na Espanha e pude acompanhar de perto o tão famoso campeonato local. Posso dizer com tranquilidade que é um privilégio assistir aos esquadrões de Real Madrid e Barcelona, além do terceiro colocado de plantão - que na época era ocupado pelo Deportivo La Coruña de Djalminha, Luizão e Donato. Porém os demais clubes estavam lá só fazendo figuração. Qualquer partida que não tinha uma destas 3 equipes era um sonífero potente e não uma partida de futebol. Em resumo, no curto e médio prazo dificilmente formaremos uma equipe capaz de enfrentar Real Madrid ou Barcelona, mas temos 12 ou 13 equipes de bom nível disputando um campeonato que se não tem um alto nível técnico quase sempre apresenta fortes emoções!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Que venha a Chape.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

Mais um passeio em verde e branco.

A incrível história de Fernando Prass.