Um novo calendário para o futebol sulamericano

      No começo da semana passada a Conmebol -Confederação Sul-Americana de Futebol - decidiu mudar o formato da Copa Libertadores de América. As principais mudanças definidas são; aumentar o número de clubes, ampliar a duração de 27 para 42 semanas, incluir os dez clubes que não avançarem às oitavas de final na Copa Sul-Americana, colocar os campeões dos dois torneios (Libertadores e Copa Sul-Americana) diretamente na fase de grupos da próxima edição da Libertadores, a possibilidade da final ser disputada em partida única em campo neutro e obrigar os clubes que disputam a Copa masculina a terem uma seleção feminina.
      Atualmente na América do Sul a maioria dos países tem a temporada organizada por semestre com os campeonatos "apertura" e "clausura” para coincidir com a divisão de semestres gerada por Libertadores e Copa Sul-Americana. Assim, cada clube faz o seu planejamento pensando nos próximos seis meses de disputa.
      No Brasil, essa divisão é confusa, pois os regionais e estaduais terminam no fim de abril e os nacionais começam em maio. Isso transforma os estaduais, que já foram importantes, numa interminável pré temporadaEsse formato não é produtivo aos clubes do interior que estão acabando, pois precisam montar elencos de três meses e é muito menos útil aos da Série A que só fazem contratações de peso em maio quando começa o Brasileirão - com exceção dos classificados para Libertadores
      Essas mudanças, mesmo que feitas equivocadamente no meio do campeonato, obrigam a CBF a enquadrar os campeonatos nacionais nessa lógica anual - o que será bom para os clubes que poderão montar um planejamento de maior duração permitindo um pouco de estabilidade à jogadores, treinadores, etc...
      Reflexo disso, a diretoria da CBF, já anunciou que o Brasil  terá mais duas vagas na pré-Libertadores, assim o Brasileirão deste ano já terá um G-6. São mais chances para Santos, Timão, Atlético Paranaense, Grêmio, Flu e Ponte de chegar no desejado torneio Sul-americano. Além disso a Copa do Brasil deve virar semestral deixando de coincidir com a Sul-Americana permitindo o mesmo clube disputar a Copa do Brasil e Sul-Americana no mesmo ano.
      Mas duas perguntas ficam no ar; com o calendário anualizado ainda há espaço para os estaduais no formato que eles hoje tem?
      Não seria melhor torná-los mais longos ampliando a temporada dos clubes do interior e deixando as equipes que disputam o Brasileiro entrarem só numa reta final, que duraria um mês ou dois no máximo?

Comentários

  1. É isso! Mas talvez seja demais para o Tico e o Teco da CBF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Juca, essa mudança é mais uma esperança do que uma crença. O futebol brasileiro merecia uma gestão decente.

      Excluir
  2. Comentário acima é de Juca Kfouri. Aliás, peça sempre a identificação de quem comenta.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Peru e Dinamarca estreiam em clima de decisão.

Vai começar a grande festa do futebol mundial!

Que venha a Chape.

Foca no "Foquita".

Valeu pelos três pontos.